Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Terroristas palestinianos escavaram buraco na cela para fugir da prisão

Militantes da Jihad Islâmica e da Fatah escaparam de prisão de alta segurança no Norte de Israel.
Ricardo Ramos 7 de Setembro de 2021 às 01:57
A carregar o vídeo ...
Seis palestinianos escavam túnel na casa de banho e escapam de prisão de alta segurança em Israel
Seis terroristas palestinianos extremamente perigosos fugiram esta segunda-feira de uma prisão de alta segurança no Norte de Israel depois de escavarem um buraco na casa de banho da cela.

O alerta foi dado por um agricultor local, que avistou vários indivíduos suspeitos a correrem pelos seus campos de madrugada. A polícia alertou os responsáveis da prisão, que só então descobriram que seis prisioneiros tinham fugido.

De acordo com a imprensa israelita, os reclusos usaram uma colher para escavar um buraco no chão da casa de banho da cela e conseguiram aceder ao subsolo da prisão, de onde abriram caminho por debaixo do muro. O túnel por onde saíram fica a poucos metros do muro e mesmo por baixo de uma das torres de vigilância.

Todos os fugitivos estavam presos por terrorismo. De acordo com as autoridades israelitas, cinco pertencem à Jihad Islâmica e o sexto é um líder das Brigadas dos Mártires de al-Aqsa, o braço armado da Fatah. Trata-se de Zakaria Zubeidi, conhecido como ‘xerife de Jenin’ e um dos símbolos da Segunda Intifada. Quatro cumpriam prisão perpétua, um estava sob detenção especial e o outro aguardava veredicto.

As autoridades lançaram uma gigantesca operação de caça ao homem envolvendo centenas de polícias e militares, mas até segunda-feira à noite não tinham conseguido recapturar nenhum dos militantes. O PM, Naftali Bennett, já admitiu que se tratou de uma “falha de segurança grave” e inédita.


pormenores

Várias falhas de segurança
A cadeia de Gilboa tem várias falhas estruturais, incluindo o facto de ter sido construída sobre pilares, o que faz com que seja mais fácil escavar um túnel. Além disso, três dos fugitivos já tinham estado envolvidos noutra tentativa de evasão, mas continuavam a partilhar a cela.

Amnistiado e preso
Zakaria Zubeidi destacou-se durante a Segunda Intifada, em 2000, tendo sobrevivido a quatro tentativas de assassinato. Foi amnistiado em 2007 mas foi preso em 2019 por envolvimento em ataques contra autocarros civis na Cisjordânia.
Ver comentários