Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Theresa May anuncia “processo irreversível”

Líder britânica comunicou ao Parlamento o início de “um momento histórico” que liberta o Reino Unido.
Francisco J. Gonçalves 30 de Março de 2017 às 08:18
A carta de May que desencadeia o processo do Brexit foi entregue ao presidente do Conselho Europeu (à dir.) pelo representante britânico na UE, Tim Barrow
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
A carta de May que desencadeia o processo do Brexit foi entregue ao presidente do Conselho Europeu (à dir.) pelo representante britânico na UE, Tim Barrow
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
A carta de May que desencadeia o processo do Brexit foi entregue ao presidente do Conselho Europeu (à dir.) pelo representante britânico na UE, Tim Barrow
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, desencadeou ontem um processo sem precedentes ao formalizar o desejo britânico de deixar a União Europeia. Em discurso ao parlamento britânico May frisou: "Este momento histórico é irreversível".

May falou aos deputados minutos depois de, em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, receber de Tim Barrow, representante britânico junto da UE, a carta que desencadeia o artigo 50 do Tratado de Lisboa, dando início a um prazo de dois anos para negociar o Brexit.

"Sabemos que isto terá consequências para o Reino Unido e que perderemos influência nas regras que afetam a economia europeia", disse May, lembrando, no entanto, que este dia, "para uns de festa e para outros de desilusão", tem aspetos muito positivos: "Agora vamos tomar as nossas próprias decisões e fazer as nossas leis. Vamos tomar o controlo daquilo que mais nos importa. E vamos aproveitar esta oportunidade para construir um Reino Unido mais forte e mais justo, um país de que os nossos filhos e os nossos netos se possam orgulhar".

Na carta enviada a Bruxelas, May deixou palavras de aviso, frisando que a segurança na Europa nunca foi tão frágil como agora. Por isso, disse, é importante negociar um bom acordo de rutura com a UE, pois sem ele não haverá comércio livre, mas ficará também "enfraquecida a cooperação na luta contra o crime e o terrorismo". Estas palavras foram interpretadas de imediato como uma chantagem sobre a UE para que ofereça condições privilegiadas de acesso britânico ao mercado único.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)