Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Terrorista de Munique sem ligação ao Daesh

Atirador matou 9 pessoas – 5 das quais eram crianças – e suicidou-se. Terá usado o Facebook para atrair vítimas.
22 de Julho de 2016 às 17:32
Ataque em Munique deixou cidade mergulhada no caos
Ataque em Munique deixou cidade mergulhada no caos FOTO: Getty Images

Pelo menos nove pessoas (cinco das quais eram menores de idade) morreram e 27 ficaram feridas (três em estado grave) num tiroteio esta sexta-feira à tarde numa estação de metro e num centro comercial em Munique, na Alemanha.

Entre as vítimas do ataque estão sete estrangeiros: três kosovares – dois dos quais com 14 e 21 anos –, três turcos e um grego.

O homem que matou nove pessoas suicidou-se. Tinha 18 anos e era alemão de origem iraniana.

O chefe da polícia da Bavaria disse em conferência de imprensa este sábado de manhã que o atirador, identificado como Ali Sonboly, tinha 300 balas na mochila, não tendo sido encontradas quaisquer provas que o liguem ao Daesh. Também ainda não foi encontrada nenhuma nota de suicídio. As autoridades avançaram ainda que o jovem não tinha licença de porte de arma e recebia apoio psicológico. A polícia estuda a possibilidade de o jovem agressor ter pirateado uma página de Facebook para convidar pessoas para irem uma casa de hambúrgueres no centro comercial de Munique, onde começou o tiroteio.

A cidade esteve em alerta durante mais de seis horas até a polícia ter confirmado a morte do atirador. A operação mobilizou 2.300 polícias alemães. O corpo do terrorista foi encontrado a cerca de um quilómetro do shopping Olympia com uma mala vermelha. O atirador que disparou junto à cadeia de 'fast food' McDonalds tinha uma mochila da mesma cor. A Brigada de Minas e Armadilhas esteve a inspecionar a mala e confirmou que o atirador se tinha suicidado. O jovem iraniano terá atuado sozinho.

Segundo o chefe da Polícia de Munique Hubertus Andra, em conferência de imprensa às 02h00 de lisboa, O jovem vivia na Alemanha " há algum tempo". Inicialmente, a polícia de Munique dizia que havia três atiradores em fuga mas com o avanço da investigação, concluiu que o ataque foi prepetado por apenas uma pessoa. O atirador, que se suicidou, já estava referenciado pela Interpol.


Após os disparos, as autoridades pediram às pessoas que saíssem dos espaços públicos. Os primeiros testemunhos davam conta de três atiradores em fuga. Mais tarde confirmou-se que era apenas um terrorista. Os transportes públicos estiveram parados e o trânsito cortado até perto da meia-noite. O tiroteio começou no restaurante McDonalds, do outro lado da rua do centro comercial. Foram ouvidos tiros na estação de metro que foi evacuada.
















A polícia suspeita de ataque terrorista mas não confirmou ainda ligações ao Daesh. Várias pessoas ficaram retidas no centro comercial durante a operação policial.




Foi decretado estado de emergência e o Governo já convocou o gabinete de crise. O centro comercial Olympia, onde decorreu o tiroteio, é um dos maiores da Baviera. 

Logo ao início da tarde várias testemunhas relataram nas redes sociais que há várias vítimas mortais.

 

Não se conhece ainda o motivo dos disparos. Vídeos e fotografias partilhados nas redes sociais mostram o pânico de várias pessoas em fuga.


"Seus malditos turcos"
De acordo com o jornalista do Bild Julian Ropcke, um dos atiradores suspeitos foi filmado a gritar: "Sou alemão. Nasci aqui. Seus malditos turcos". Entretanto, um outro jornal local diz que terá sido outra pessoa a gritar.


Notícia atualizada às 13h46, 23/07/2016

Munique tiroteio alemanha centro comercial
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)