Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Tony Blair: Violência foi provocada por uma "juventude alienada"

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair rejeitou este domingo que os desacatos em Londres tenham sido o resultado de um declínio moral, sublinhando que falar num "país fracturado" mancharia injustamente a reputação da Grã-Bretanha.
21 de Agosto de 2011 às 13:25
"A chave é perceber que eles não representam a maioria da sociedade", escreve Blair
'A chave é perceber que eles não representam a maioria da sociedade', escreve Blair FOTO: Tomas Bravo/Reuters

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu que foi o "colapso moral" que provocou os motins que se prolongaram durante quatro noites em Londres e noutras cidades britânicas.  

Num artigo publicado no jornal ‘Observer’, Tony Blair rejeita esta ideia, sublinhando que a violência não foi provocada pela falência social, mas por uma "juventude alienada".  

"A chave é perceber que eles não representam a maioria da sociedade", escreve Blair, acrescentando que "a Grã-Bretanha enquanto um todo não está a atravessar um 'declínio moral'".  

"A verdade é que muitas destas pessoas são de famílias profundamente disfuncionais, que funcionam de forma completamente diferente do resto da sociedade, quer sejam de classe média ou pobres", defende ainda o antigo primeiro-ministro britânico.  

Tony Blair alerta ainda que dizer que os britânicos estão a atravessar um declínio moral irá deprimi-los e arrasar a sua reputação internacional. 

Além disso, refere ainda, e "pior que tudo, é que irá fazer com que se perca a oportunidade de lidar com o problema da única forma possível". 

tony blair david cameron primeiro-ministro londres inglaterra desacatos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)