'Toupeira' na polícia ajudou extrema-direita na Alemanha

Fuga de informação sobre suspeitos ajudou a inflamar violência em Chemnitz.
Por Ricardo Ramos|31.08.18
As autoridades alemãs estão a investigar possíveis ligações entre a polícia e grupos de extrema-direita após o mandado de detenção dos dois suspeitos pela morte de um cidadão alemão em Chemnitz ter sido partilhado por partidos xenófobos, ajudando a inflamar ainda mais os protestos na cidade.

Aquela pacata cidade da antiga Alemanha de Leste foi no início da semana palco de protestos violentos contra os refugiados após um habitante local ter sido esfaqueado até à morte por imigrantes do Médio Oriente na madrugada de domingo. Milhares de apoiantes da extrema-direita, a maioria vindos de fora da Saxónia, invadiram a cidade. Elementos mais radicais fizeram saudações nazis e atacaram refugiados, forçando a polícia a intervir.

As autoridades acreditam que uma 'toupeira' na polícia enviou aos grupos de extrema-direita o mandado de detenção dos dois suspeitos do crime, inflamando ainda mais os ânimos, ao identificar os autores do ataque como um refugiado iraquiano, de 22 anos, com um longo cadastro criminal e um refugiado sírio de 21 anos. O documento indica ainda que a vítima, de 35 anos, foi esfaqueada dezenas de vezes no peito num ataque brutal.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!