Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

TRAGÉDIA NAS CARAÍBAS

Mais de 600 pessoas morreram e outras tantas estão dadas como desaparecidas na República Dominicana e no Haiti em consequência das fortes chuvadas que têm caído nas últimas duas semanas, dando origem a inundações e aluimentos de terras, que deixaram milhares de pessoas desalojadas.
27 de Maio de 2004 às 00:00
O corpo de uma vítima das cheias jaz à entrada de uma morgue na República Dominicana. Muitas pessoas acorrem às morgues em busca de corpos de entes queridos desaparecidos. Uma tragédia.
O corpo de uma vítima das cheias jaz à entrada de uma morgue na República Dominicana. Muitas pessoas acorrem às morgues em busca de corpos de entes queridos desaparecidos. Uma tragédia. FOTO: Orlando Barria/EPA
Na República Dominicana diz-se que este é o pior desastre natural que o país viveu nos últimos 100 anos. Aldeias inteiras foram engolidas pelas águas e dezenas de corpos são empilhados em morgues improvisadas. Os serviços de Protecção Civil davam conta de 250 mortos e 239 desaparecidos.
As equipas de socorro tentavam resgatar vítimas e recolher corpos por entre o mar de lama. Nesta sua missão vão ouvindo histórias de tragédia que afectam muitas famílias. Uma mãe, por exemplo, contou que apertou os seus dois filhos contra o peito para evitar que as enxurradas os levassem, mas a força das águas foi mais forte e levou-os para a morte. Junto às morgues acumulam-se pessoas à procura de familiares desaparecidos. Numa delas, uma mãe soluçava ontem: “encontraram o corpo da minha filha!”
Um cenário que se repete no Haiti, onde o balanço provisório de mortos era ontem de 360.
Às equipas de resgate haitianas juntaram-se tropas norte-americanas e canadianas que integram a Força Multinacional destacada no país após a violência ocorrida em Fevereiro. A União Europeia vai enviar dois milhões de euros para as vítimas.
Ver comentários