Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Trégua da ETA é insuficiente

O governo espanhol considerou insuficiente o anúncio de cessar-fogo parcial da ETA. Sem querer dar demasiada atenção ao anúncio da organização terrorista basca, que promete deixar de matar políticos, a vice-presidente do governo, Maria Teresa Fernández de la Vega, considerou que o único comunicado que o governo quer comentar é o do abandono “definitivo” da violência.
20 de Junho de 2005 às 00:00
Trégua da ETA é insuficiente
Trégua da ETA é insuficiente FOTO: d.r.
O Partido Popular (PP) considerou, por seu lado, que se trata de “um jogo macabro” que implica “uma ameaça maior para o resto dos cidadãos”.
“Alguma coisa está a acontecer. Ambos os lados jogam as suas cartas. Mas com esta iniciativa o governo não pode fazer nada”, afirmou uma fonte anónima do executivo, esclarecendo que o problema de uma trégua parcial é que os cidadãos a consideram repugnante.
“GRUPO CONTROLA O JOGO”
“É certo que a partir de hoje muitas pessoas passarão a viver mais tranquilas, mas os empresários, os professores universitários, os jornalistas ou os polícias não se vão sentir tão calmos”, afirmou um porta-voz do governo autónomo basco.
Ángel Acebes, secretário-geral do PP, considerou que a “ETA controla o jogo” e instou o primeiro-ministro, José Rodriguez Zapatero, a “regressar à luta policial” e a suspender as negociações “até à rendição incondicional do grupo”. Gaspar Llamazares, coordenador da Esquerda Unida, considerou também “miserável” o anúncio de uma trégua restrita aos políticos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)