Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Trump acusa União Europeia de ter sido criada para se "aproveitar" dos Estados Unidos

Presidente americano culpa "os antigos presidentes e os antigos líderes do nosso país".
Lusa 29 de Abril de 2018 às 02:59
Donald Trump em comício no Michigan
FBI despediu agente que criticou Trump em mensagem
Donald Trump admite que pagou a atriz pornográfica através de advogado
Donald Trump
Donald Trump em comício no Michigan
FBI despediu agente que criticou Trump em mensagem
Donald Trump admite que pagou a atriz pornográfica através de advogado
Donald Trump
Donald Trump em comício no Michigan
FBI despediu agente que criticou Trump em mensagem
Donald Trump admite que pagou a atriz pornográfica através de advogado
Donald Trump
O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou este sábado à noite, num comício no Michigan, que os países europeus criaram a União Europeia para se "aproveitar" dos Estados Unidos.

Falando a simpatizantes num comício organizado sob o seu lema de campanha "Make America great again", e citado pela agência Efe, Trump afirmou que "a União Europeia foi formada para aproveitar-se dos Estados Unidos, mas não os culpem a eles".

"Não culpem Xi [líder chinês] nem o primeiro-ministro Abe [Japão], não os culpem por aproveitar-se de nós. Eu culpo os antigos presidentes e os antigos líderes do nosso país", afirmou.

As acusações do Presidente norte-americano ocorreram poucos dias depois de receber, na Casa Branca, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Os dois líderes europeus deslocaram-se a Washington com o objetivo de tentar convencer Trump a tornar permanente a exceção da União Europeia da aplicação das tarifas alfandegárias de 25 % para as importações de aço e de 10 % para as de alumínio.

A exceção atualmente existente termina a 01 de maio, pelo que o Presidente norte-americano terá de decidir se a mantém ou se aplica também à União Europeia as novas tarifas.

Macron e Merkel também tinham como objetivo, nas suas deslocações a Washington, convencer Trump a não abandonar o acordo nuclear com o Irão, assinado em 2015.

Em janeiro, o líder norte-americano ameaçou retirar-se do acordo se os países europeus que o subscreveram -- França, Alemanha e Grã-Bretanha -- não negociassem consigo um documento paralelo que corrigisse os "defeitos" do original.

Trump deverá anunciar se mantém os Estados Unidos no acordo ou não a 12 de maio.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)