Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Trump adverte Comey para não revelar conteúdo de conversas entre eles

Ex-diretor do FBI foi demitido de forma inesperada na noite de terça-feira.
12 de Maio de 2017 às 16:24
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
Donald Trump, o presidente dos EUA
James Comey
James Comey, ex-diretor do FBI
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
Donald Trump, o presidente dos EUA
James Comey
James Comey, ex-diretor do FBI
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
Donald Trump, o presidente dos EUA
James Comey
James Comey, ex-diretor do FBI
O Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou esta sexta-feira o ex-chefe do FBI, James Comey, que demitiu de forma inesperada na noite de terça-feira, para não revelar aos 'media' o conteúdo das conversas que mantiveram.

"Seria positivo que James Comey referisse que não existem 'registos' das nossas conversas antes de começar a fazer revelações aos 'media'", assinalou Trump numa série de 'tweets' divulgados esta manhã.




Na quinta-feira, o Presidente indicou em entrevista à cadeia televisiva NBC ter mantido duas conservações telefónicas, e um jantar, com Comey e onde terá perguntado se estava a ser visado pelo inquérito do FBI sobre um conluio com a Rússia.

"Disse-lhe, 'Se for possível, pode dizer-me se existe um inquérito sobre mim?'. Ele disse-me que não havia um inquérito sobre mim", explicou Trump à cadeia televisiva norte-americana, numa referência ao inquérito em curso no FBI sobre possíveis ligações entre o seu círculo mais próximo e responsáveis russos durante a campanha eleitoral de 2016.

Dois inquéritos estão igualmente a decorrer no Congresso para determinar se existiu conluio com a Rússia para favorecer a candidatura do republicano em detrimento da sua adversária democrata Hillary Clinton.

Hoje, Trump também reagiu às críticas relacionadas com a comunicação emitida pelas suas equipas após o afastamento inesperado de Comey. Durante alguns dias, diversas foram divulgadas diversas versões, que diferiam em função dos interlocutores.

"Na qualidade de presidente muito ativo e com numerosas situações a decorrer, nem sempre possível às minhas equipas que subam a um estrado com uma perfeita exatidão", justificou o multimilionário.

"Talvez fosse melhor anular no futuro todas os `briefing com a imprensa' e remeter as respostas por escrito para garantir maior exatidão", prosseguiu.
Presidente Donald J. Trump FBI James Comey Hillary Clinton NBC Rússia política
Ver comentários