Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Trump defende apoiante que matou duas pessoas nos EUA

Presidente visitou Kenosha, onde Kyle Rittenhouse matou a tiro dois manifestantes, mas recusou encontrar-se com a família de Jacob Blake.
Ricardo Ramos 2 de Setembro de 2020 às 08:47
Trump fala com os jornalistas à chegada ao Wisconsin para visitar a cidade de Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Wisconsin, EUA, disparos, Kenosha
Trump fala com os jornalistas à chegada ao Wisconsin para visitar a cidade de Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Wisconsin, EUA, disparos, Kenosha
Trump fala com os jornalistas à chegada ao Wisconsin para visitar a cidade de Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Protesto contra o racismo em Kenosha
Wisconsin, EUA, disparos, Kenosha
O presidente Donald Trump visitou esta terça-feira a cidade de Kenosha, no Wisconsin, palco de violentos protestos contra o racismo e a violência policial, mas recusou encontrar-se com a família de Jacob Blake, o jovem negro que foi baleado pelas costas pela polícia. No entanto, fez questão de defender o seu apoiante Kyle Rittenhouse, o adolescente de 17 anos que matou a tiro duas pessoas e feriu outra com gravidade durante os protestos.

O governador do Wisconsin e o ‘mayor’ de Kenosha tinham pedido ao presidente para não visitar a cidade de modo a não inflamar ainda mais os protestos, mas Trump ignorou-os. A visita decorreu sob fortes medidas de segurança e a tensão era palpável nas ruas, com muitas pessoas a empunharem cartazes de apoio a Trump à passagem da comitiva e outras a gritarem palavras de ordem contra o racismo e a violência policial.

Antes de deixar Washington, Trump manifestou simpatia para com Rittenhouse, afirmando que o seu apoiante, acusado de matar duas pessoas durante os confrontos, agiu “para se defender”. “Ele estava a tentar fugir deles. Caiu e foi violentamente atacado... Podia ter sido morto”, disse Trump.

O presidente, que insistiu na visita para sublinhar a mensagem de defesa da lei e da ordem que elegeu como tema central da sua campanha, chamou a si os louros de ter acabado com a violência com o envio de reforços para a cidade, muito embora a maior parte destes tenha sido pedida pelo governador local. “Temos de ser decididos, temos de ser duros, temos de ser fortes”, afirmou.

Trump planeava ainda visitar alguns edifícios destruídos nos protestos, mas anunciou que não se ia encontrar com a família de Jacob Blake, alegadamente, porque esta insistiu na presença de um advogado. Aos jornalistas, o pai do jovem disse que “não tinha interesse em falar com Trump”. n *com agências

pormenores
Médico nega mini-AVC
O médico pessoal de Trump negou esta terça-feira que o presidente tenha sofrido uma série de mini-AVC no final de 2019.

Negro morto pela polícia
Um ciclista negro de 29 anos foi esta terça-feira morto com mais de 20 tiros pela polícia em Los Angeles, Califórnia, devido a uma alegada infração ao Código da Estrada.

“Avião com criminosos”
Trump denunciou esta terça-feira, sem apresentar provas, relatos de um avião “cheio de criminosos vestidos de negro” que planeavam causar distúrbios durante a Convenção Republicana.



presidente Donald Trump Kenosha Wisconsin Jacob Blake Kyle Rittenhouse crime lei e justiça política eleições
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)