Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Tsunami económico

O braço-de-ferro entre a China e o Japão por causa das ilhas Senkaku (ou Diaoyu para os chineses) ameaça ter um impacto devastador para as economias dos dois países, que são, respectivamente, a segunda e a terceira maiores potências financeiras mundiais.

1 de Outubro de 2012 às 01:00
Protestos levaram muitas empresas japonesas a fecharem portas
Protestos levaram muitas empresas japonesas a fecharem portas FOTO: Shepherd Zhou/Epa

Apesar de a onda de protestos violentos contra empresas nipónicas ter acalmado nos últimos dias, muitas multinacionais japonesas na China continuam de portas fechadas, como a Sony, Panasonic, Honda e Toyota. Só no sector automóvel, as perdas das últimas semanas são estimadas em mais de 200 milhões de euros.

O sector aéreo foi igualmente afectado, com mais de 25 mil voos cancelados, e várias companhias aéreas a terem de diminuir o número de voos semanais devido à queda na procura.

Peritos económicos citados pelo ‘Le Figaro’ alertam que os custos financeiros da disputa podem ser mais avultados que o impacto financeiro do sismo e tsunami de Fukushima, em 2011, que causou estragos avaliados em mais de 230 mil milhões de euros, qualquer coisa como 6% do PIB japonês.

CHINA JAPÃO ILHAS SENKAKU DIAOYU
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)