Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Turquia "pouco otimista" sobre trégua na Síria

País admite prosseguir bombardeamentos a curdos.
23 de Fevereiro de 2016 às 15:16
O vice-primeiro-ministro da Turquia, Numan Kurtulmus
O vice-primeiro-ministro da Turquia, Numan Kurtulmus FOTO: Getty Images

A Turquia admitiu esta terça-feira estar pouco otimista sobre a aplicação de um cessar-fogo na Síria anunciado pelos Estados Unidos e Rússia e ameaçou prosseguir os bombardeamentos contra os combatentes curdos sírios.

"Saúdo esta trégua mas não estou muito otimista que possa ser respeitada por todas as partes", referiu em Ancara o vice-primeiro-ministro Numan Kurtulmus.

O mesmo responsável avisou ainda que a Turquia iria prosseguir os bombardeamentos sobre as posições da milícia curda síria Unidades de Proteção do Povo (YPG, o braço armado do Partido da União Democrática [PYD], principal formação política dos curdos da Síria), como sucedeu durante vários dias na passada semana.

Kurtulmus disse ainda que a Turquia continuará "se necessário" a responder a eventuais bombardeamentos provenientes de território sírio na região da fronteira comum e mesmo após a entrada em vigor da trégua, anunciada para sábado.

A Turquia tem manifestado profunda inquietação pelos avanços das forças do YPG, receando que pretendam a formação de uma região autónima curda junto às suas fronteiras.

Ancara considera o YPG e o PYD como o "ramo sírio" do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que desde 1984 promove uma rebelião pela autonomia nas regiões do sudeste da Turquia com maioria de população curda.

Acusa ainda as forças curdas sírias de colaborarem com a Rússia no conflito da Síria, e quando Moscovo se continua a opor ao afastamento do Presidente Bashar al-Assad, o principal objetivo estratégico de Ancara. 

Turquia Síria Ancara distúrbios guerras e conflitos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)