Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Ucrânia renuncia a estatuto de não-alinhado

O objetivo é a aproximação à NATO.
23 de Dezembro de 2014 às 11:45
"Trata-se, 'de facto', de um pedido de adesão à NATO, o que transforma a Ucrânia num adversário militar", disse Medvedev
'Trata-se, 'de facto', de um pedido de adesão à NATO, o que transforma a Ucrânia num adversário militar', disse Medvedev FOTO: Dmitry Astakhov/Reuters

A Ucrânia decidiu esta terça-feira renunciar ao seu estatuto de país não-alinhado para se aproximar da NATO, no contexto da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia e do conflito com os rebeldes pró-russos no leste do país.

Uma larga maioria de 303 deputados votou a favor de um projeto de lei naquele sentido, que registou apenas oito votos contra.

A lei deve agora ser promulgada pelo presidente Petro Poroshenko, que se congratulou com a sua aprovação na rede social de mensagens curtas Twitter.

"Corrigimos enfim este erro", declarou o chefe de Estado ucraniano. "A integração europeia e euro-atlântica é um caminho para o qual a Ucrânia não tem alternativa", adiantou.


A decisão de Kiev foi criticada por Moscovo mesmo antes de ser aprovada.

"Trata-se, 'de facto', de um pedido de adesão à NATO, o que transforma a Ucrânia num adversário militar

potencial da Rússia", considerou na segunda-feira à noite o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, na sua conta na rede social Facebook.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)