Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

UE admite rever laços com a Suíça

Extrema-direita francesa e alemã querem seguir exemplo dos suíços e realizar referendo sobre imposição de limites à entrada de estrangeiros.
11 de Fevereiro de 2014 às 18:46
'Sim' suíço à imposição de quotas para imigrantes da UE causou ondas de choque na Europa
'Sim' suíço à imposição de quotas para imigrantes da UE causou ondas de choque na Europa FOTO: Steffen Schmidt/EPA

A União Europeia ameaçou ontem rever os acordos de cooperação com a Suíça na sequência da aprovação, em referendo, da imposição de limites à entrada de estrangeiros no país helvético. A questão ameaça dominar a campanha para as europeias de maio, numa altura em que a extrema-direita francesa e alemã exigem já seguir o exemplo suíço.

A Suíça aprovou domingo, num referendo convocado pelo partido de direita SVP, a imposição de limites à entrada de estrangeiros provenientes da UE, uma decisão que, na prática, viola o acordo de livre circulação que o país tem em vigor com a União Europeia.

"A decisão suíça terá certamente consequências. Não é possível continuar a ter acesso privilegiado ao mercado interno europeu e, por outro lado, limitar a livre circulação de pessoas", afirmou o MNE do Luxemburgo, Jean Asselborn.

Como seria de esperar, a decisão dos eleitores suíços foi saudada como uma importante vitória pela extrema-direita europeia, que pretende fazer da imigração o principal tema das próximas eleições europeias.

"Os eleitores suíços mostraram bom senso e devíamos seguir o seu exemplo. Se houvesse um referendo em França, o resultado seria igual", disse a líder da Frente Nacional francesa, Marine Le Pen, numa opinião partilhada por Bernd Lucke, do partido eurocético alemão AfD: "Os partidos tradicionais recusam falar disto. Se fizéssemos um referendo ficariam a saber o que verdadeiramente pensam os alemães", afirmou.

mundo suíça união europeia emigração
Ver comentários