Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

UE determinada a lutar contra o Estado Islâmico

Os 'jihadista' executaram Peter Kassig como represália pelo envio de conselheiros militares para o Iraque
17 de Novembro de 2014 às 09:39
O norte-americano foi decapitado pelos 'jihadistas'
O norte-americano foi decapitado pelos 'jihadistas' FOTO: D.R.

A União Europeia afirmou-se esta sexta-feira determinada a lutar contra o grupo extremista do Estado Islâmico, depois da decapitação de mais um refém norte-americano.

"A morte brutal do trabalhador humanitário americano Peter Kassig e dos soldados sírios ilustra a determinação do Estado Islâmico/Daech para prosseguir com o seu plano de terror", afirmou em comunicado a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.


"Todos os autores de violações dos direitos do Homem devem ser responsabilizados. A União Europeia não poupará esforços para atingir esse objetivo", disse.


No comunicado, a representante sublinha ainda o empenho "total" da União Europeia "na luta contra a ameaça do Estado Islâmico/Daech e de outras organizações terroristas na Síria e no Iraque".


O grupo 'jihadista' executou por decapitação o refém norte-americano Peter Kassig como represália pelo envio de conselheiros militares para o Iraque, um ato que o Presidente Barack Obama já classificou como sendo de "pura maldade".

União Europeia Estado Islâmico Peter Kassig Federica Mogherini Síria Iraque Barack Obama política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)