Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

UE recusa Europa do ódio

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.
27 de Janeiro de 2016 às 14:12
O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou esta quarta-feira a recusa de uma Europa de ódio
O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou esta quarta-feira a recusa de uma Europa de ódio FOTO: Reuters

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou esta quarta-feira a recusa de uma Europa de ódio, porque "uma Europa sem judeus, não será a Europa", a propósito do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.


Numa nota divulgada hoje, Juncker considerou "intolerável" que 71 anos depois da libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau haja um número recorde de judeus a mudar-se para Israel por sentirem insegurança na Europa.


Recordando o caso de um rabino que aconselhou os membros da sua comunidade, em Marselha (sul de França), a não usarem a kippa (cobertura de cabeça) e a proteção policial a escolas judias e sinagogas, Juncker garantiu que os ataques contra judeus "são ataques contra todos".


"São ataques contra todos nós e contra o nosso modo de vida, contra a tolerância e contra a nossa identidade", afirmou o presidente do executivo europeu, referindo que não se pode esquecer o que aconteceu na Europa quando seis milhões de judeus morreram.


"Nunca mais! É a promessa solene feita pelos nossos fundadores quando eles reconstruíram o continente sobre as ruínas da II Guerra Mundial e as cinzas do Holocausto", recordou Juncker, que defendeu que os valores atuais europeus, a democracia e os direitos humanos, devem ser defendidos todos os dias, "especialmente em tempos de crise". 

presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker Europa ódio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)