Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Último debate marcado por troca de acusações entre candidatos à presidência do Brasil

Bolsonaro foi questionado se a esquerda quer "fechar igrejas e calar a boca de padres".
Lusa 30 de Setembro de 2022 às 07:16
Eleições Brasil
Eleições Brasil FOTO: ADRIANO MACHADO/reuters
O último debate antes da primeira volta das presidenciais brasileiras de domingo foi marcado pelas trocas de acusação entre candidatos, em especial as de corrupção entre os favoritos, Jair Bolsonaro e Lula da Silva.

O longo evento, que começou às 22h30 e durou até às 02h00 locais (06h00 em Lisboa), foi transmitido no canal aberto da Globo, a maior rede de televisão do gigante sul-americano e contou com a participação de Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL), Padre Kelmon (PTB), Luiz Felipe D'Ávila (Novo), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil).

Padre Kelmon (PTB), que serviu de bengala a Bolsonaro durante todo o debate, questionou o Presidente brasileiro sobre se a esquerda quer "fechar igrejas e calar a boca de padres".

Jair Bolsonaro e Lula Brasil Luiz Inácio Lula da Silva PTB política
Ver comentários