Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Um mês sem ver a luz do dia

Os familiares dos mineiros encurralados na mina de San José, no Norte do Chile, assinalaram ontem com um buzinão a passagem de um mês sobre a derrocada que deixou os 33 homens presos debaixo de terra.
6 de Setembro de 2010 às 00:30
Videoconferência ajuda a matar saudades e a dar ânimo aos mineiros, isolados desde 5 de Agosto
Videoconferência ajuda a matar saudades e a dar ânimo aos mineiros, isolados desde 5 de Agosto FOTO: Epa

Às 13h40 locais (18h40 em Lisboa), hora a que no passado dia 5 de Agosto ocorreu o deslizamento de terras, camionetas e carros estacionados no acampamento fizeram soar as suas buzinas em homenagem aos mineiros. "Há dor, porque o tempo vai passando, mas oxalá que corra tudo bem para que os possam retirar com vida", afirmou Elizabeth Segovia, irmã de Dario, um dos mineiros.

Desde sábado que os mineiros podem falar com familiares por videoconferência. Cada mineiro dispõe de apenas um minuto para comunicar com três familiares. "Foi muito emocionante. Dava vontade de tirá-lo do ecrã", referiu Antonia Godoy, mãe do mineiro Richard Villaroel, a quem, gracejando, pediu para emagrecer para que o possam salvar.

Entretanto, após terem recebido terços benzidos pelo Papa, os mineiros receberam ontem 33 Bíblias em miniatura, enviadas por um pastor evangélico.

Ver comentários