Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Um morto infetado com peste negra leva China a isolar aldeia

É o segundo caso registado no país este ano e a primeira morte devido à doença que causou a pandemia mais mortífera da história da Humanidade.
Correio da Manhã 7 de Agosto de 2020 às 11:44
Confirmado caso de peste negra na China
Confirmado caso de peste negra na China FOTO: DR

As autoridades de saúde e governamentais isolaram a aldeia de Suji Xincun, na região chinesa da Mongólia Interior, depois de ter sido registada uma morte por peste bubónica (também conhecida por peste negra) naquele local.

A morte foi confirmada no domingo, segundo a Comissão Municipal de Saúde da cidade da BaoTou, depois de se ter confirmado que o doente estava infetado com a doença, responsável pela mais mortífera pandemia da História, na passada quinta-feira.

Segundo o comunicado desta autoridade de saúde, o paciente morreu devido a falência do sistema circulatório, não sendo referido no entanto como foi infetado.

A aldeia onde a vítima mortal vivia foi isolada e foi decretada desinfeção diária de todas as habitações. As autoridades adiantam que, até ao momento, já foram testados nove contactos de risco e 26 contactos secundários, sendo que todos testaram negativo. Continuam a ser feitos testes diariamente aos habitantes da aldeia mas, até ao momento, não foi registado mais nenhum caso positivo. De qualquer forma, todos aqueles que tiveram contacto com o doente com peste bubónica vão manter-se em quarentena.

No distrito onde se localiza a aldeia foi decretado o alerta de prevenção da peste de nível 3 (o segundo mais baixo), até ao final de 2020.

Este é o segundo caso registado da peste negra na China e a primeira morte. O primeiro caso ocorreu na cidade de Bayannur, em julho, obrigando também ao isolamento de vários locais, incluindo pontos turísticos.

As autoridades alertam para o sério risco de que "uma epidemia de peste de espalhe por Baotou" e apelou a todos os cidadãos para que procurem ajuda médica ao mínimo dos sintomas (como febre ou tosse). Foi também emitido uma recomendação para reduzir contacto com animais, caça ou consumo de carne de animais que possam transmitir a infeção.

No último mês, dois casos de peste bubónica foram confirmados na Mongólia, em dois irmãos que tinham comido carne de uma marmota infetada.

China BaoTou Suji Xincun Mongólia Interior saúde doenças epidemias e pragas questões sociais
Ver comentários