Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

União Europeia condena ataque na Somália

No dia 25 de dezembro, três soldados da UA e um civil morreram na sequência do ataque.
27 de Dezembro de 2014 às 09:37
Violência na Somália voltou a matar
Violência na Somália voltou a matar FOTO: Feisal Omar/Reuters

A União Europeia condenou o atentado contra o quartel-general da missão da União Africana (UA) na Somália, no qual morreram três soldados e um civil, considerando-o "um sério alerta da ameaça terrorista" no país africano.

Os 28 países da União Europeia manifestaram, em comunicado, as suas condolências às vítimas e às famílias de quem perdeu a vida. No dia 25 de dezembro, três soldados da UA e um civil morreram na sequência do ataque de islamitas ao quartel-general da força internacional na Somália.

A UE prestou ainda tributo às tropas e à polícia da missão de estabilidade no país e sublinharam que vão continuar a apoiar a missão "e o exército nacional somali nos seus esforços em prol da segurança e estabilidade no país", acrescenta o comunicado do Serviço Europeu de Ação Externa.

A UE reiterou ainda o seu compromisso de apoio à população somali na reconstrução do país.

Cerca de 22 mil soldados da UA integram a força da AMISOM, na Somália desde 2007, tendo conseguido afastar os islamitas para fora da capital, embora estes ainda controlem grandes partes do território.

União Europeia ataque Somália
Ver comentários