Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Vacina da Johnson & Johnson tem apenas 33% de eficácia contra a variante delta da Covid-19, revela estudo preliminar

Participantes inoculados com vacina da J&J revelam níveis de anticorpos cinco a sete vezes mais baixos quando expostos à variante Delta.
Correio da Manhã 22 de Julho de 2021 às 12:31
Vacina Johnson & Johnson
Vacina Johnson & Johnson

A vacina contra a covid-19 da farmacêutica Johnson & Johnson é menos eficaz contra a variante delta, mostrando apenas 33% de eficácia, revela um estudo realizado nos EUA.

O novo estudo, dirigido pelo virologista Dr. Nathaniel Landau, da Grossman School of Medicine de Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), ainda não foi publicado em revista científica e não foi revisto pelos pares. No entanto, a amostra de análises sanguíneas a 27 indivíduos revela que a taxa de eficácia para a vacina desta farmacêutica é de 33%. 

Dos 27 participantes, 17 foram imunizados com as duas doses das vacinas da Pfizer ou Moderna e os restantes dez com a vacina da Johnson.

Os resultados mostram que os participantes imunizados com as vacinas da J&J revelam níveis de anticorpos cinco a sete vezes mais baixos quando expostos à variante delta. Em comparação, o grupo de imunizados com as vacinas Pfizer ou Moderna mostra níveis de anticorpos três vezes mais baixos quando expostos à variante delta da Covid-19.

O virologista Dr. John Moore, um dos envolvidos no estudo, em declarações ao The Times afirma que "o nível baixo de proteção [33%] significa que o que resta para combater o Delta é muito fraco. Esta é uma preocupação substancial". 

Moore relembra ainda que já foram realizados testes em macacos que receberam duas doses da J&J e os níveis de imunidade foram melhores do que quando comparados aos animais que só receberam uma dose. 

De acordo com o Science Times, há especialistas que não ficaram admirados com estes resultados, porque acreditam que as vacinas contra a Covid-19 precisam de ser duas vezes administradas para revelarem níveis satisfatórios de proteção. 

Quanto às vacinas da Pfizer ainda há poucos dados que provem a taxa de imunidade para a variante delta. De acordo com a Forbes, um estudo do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido prova que duas doses da vacina Pfizer têm uma eficácia de 93,7% contra a variante Alfa e 88% contra a Delta. 

Já duas doses da AstraZeneca, cuja tecnologia é semelhante à da J&J, revelam 74,5% e 67%, respetivamente. 

No entanto, nos cidadãos que apenas receberam uma dose destas vacinas, a taxa de imunidade cai a pique. Para a variante Alfa ambas revelam uma taxa de proteção de 48% e para a variante Delta 30%. 

Na passada quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) comunicou que a variante Delta já está presente em 124 países e a tendência é tornar-se dominante em todo o Mundo. Desde que surgiu já é responsável por 57 mil mortes e numa só semana atingiu 3,4 milhões de pessoas. 

A OMS também está preocupada com mais três variantes, entre elas a variante Alfa, detetada inicialmente no Reino Unido, que já está presente 180 países; a beta, descoberta na África do Sul que marca presença em 130 países e a variante Gama, detetada primeiro no Brasil que está a circular em 78 países.

Ver comentários