Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Juan Guaidó diz que fim de Maduro "nunca esteve tão perto" numa Caracas tranquila

Para sábado está prevista uma grande ação de protesto nacional.
Lusa 3 de Maio de 2019 às 20:29
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó

Três dias depois do proclamado "fim da usurpação" do regime de Nicolás Maduro, Caracas vive uma quase normalidade, sem registo de protestos. Guaidó insiste, "o processo do fim da usurpação está em curso. E nunca esteve tão perto".

Para sábado está prevista uma grande ação de protesto nacional, tendo Guaidó apelado aos venezuelanos para que vão para as ruas com intuito pacífico, para que levem as suas famílias e evitem a violência.

Juan Guaidó, o autoproclamado Presidente interino da Venezuela convocou os jornalistas para uma conferência de imprensa, com o pretexto de manifestar solidariedade com o primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional, Edgar Zambrano, contra quem o Supremo tribunal de Justiça da Venezuela autorizou um processo penal acusando-o dos crimes de traição à pátria e conspiração, por ter apoiado o que diz ter sido uma tentativa de golpe de Estado contra o Presidente do país, Nicolás Maduro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)