Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Mulher de Navalny detida durante protestos em Moscovo pela libertação do opositor russo

Equipa do ativista fez apelos para que as pessoas saíssem às ruas em 65 cidades russas em protesto contra a prisão de Navalny.
Correio da Manhã 23 de Janeiro de 2021 às 12:54
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Centenas de detidos em protestos pela libertação de Alexei Navalny em Moscovo
Yulia Navalny, mulher do opositor russo que foi detido no aeroporto em Moscovo, foi detida este sábado durante protestos pela libertação do marido. 

Yulia anunciou que foi detida hoje pela polícia em Moscovo, durante a manifestação em apoio ao seu marido.

"Desculpem a má qualidade [da foto], a luz é má na carrinha celular", escreveu na sua conta na rede social Instagram, publicando uma 'selfie' tirada numa viatura policial.

A mulher do ativista estava numa das 70 manifestações que estão a decorrer este sábado. Já haverão mais de 100 pessoas detidas, segundo testemunhas.

Centenas de pessoas foram já presas este sábado durante manifestações organizadas na Rússia para exigir a libertação do opositor Alexei Navalny, que está em prisão preventiva até, pelo menos, 15 de fevereiro, apesar das múltiplas ameaças das autoridades contra os protestos.

De Moscovo a Novosibirsk, a equipa do ativista anticorrupção fez apelos para que as pessoas saíssem às ruas em 65 cidades russas para protestarem contra a prisão de Navalny.

As primeiras manifestações ocorreram este sábado no Extremo Oriente russo e na Sibéria, onde vários milhares de pessoas tomaram as ruas, principalmente em Vladivostok, Khabarovsk e Tchita, diante de um grande número de polícias antimotim deslocados para os locais dos protestos, de acordo com apoiantes de Navalny.

Alexei Navalny Rússia Moscovo política
Ver comentários