Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Violada com ramo de árvore morre após dois anos no hospital

Mulher recuperava de lesões internas após espancamento, esfaqueamento e violação.
4 de Janeiro de 2018 às 19:02
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar
Anna foi agredida, esfaqueada e violada por Gizar

Uma mulher de 33 anos morreu depois de dois anos a recuperar de um macabro ataque de que foi vítima. Um predador sexual russo, Gizar Ziyangareev, espancou violentamente Anna Barmina em 2016. Depois, esfaqueou-a e arrastou-a para uma zona de mato, onde a violou com um ramo de árvore de grandes dimensões.

A mulher foi encontrada à beira da morte em Ufa, na Rússia. Os médicos verificaram na altura que "todos os órgãos internos" de Anna "ficaram com lesões muito graves". A mulher acabou por sofrer um ataque cardíaco no hospital e ficou em coma durante mais de um ano.

Quando acordou do coma, Anna estava profundamente traumatizada e nunca mais conseguiu falar. Passou os últimos dois anos confinada à cama do hospital, onde acabou por não sobreviver às lesões internas e morreu.

Gizar Ziyangareev violou pelo menos quatro mulheres. O método usado nos crimes era sempre o mesmo. Surpreendia as vítimas em parques ou zonas de mato recônditas. Espancava-as esfaqueava-as e depois consumava a violação. Anna terá resistido mesmo depois de gravemente ferida, pelo que foi violada com um ramo de árvore que estava no chão.

O violador foi condenado a 23 anos de prisão este ano: a mais longa pena alguma vez aplicada a um violador na Rússia. Gizar ainda roubou o telemóvel, computador portátil e perto de 1000 euros à jovem, antes de a deixar como morta.

O homem já tinha sido condenado anteriormente por crimes sexuais.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)