Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Violador libertado a pedido da vítima

Um caso de violação regressou às primeiras páginas de imprensa da Argentina, após a vítima ter pedido a libertação do abusador, de quem tem dois filhos.
4 de Outubro de 2007 às 00:00
Segundo o jornal argentino ‘Diário Hoje’, o indivíduo em causa violou continuadamente a filha da sua então namorada, desde que a menina tinha 12 e até aos 16 anos. Destas violações nasceram dois filhos. A vítima, que agora tem 18, solicitou à Justiça a libertação do violador para que este possa trabalhar e ajudar a garantir o sustento dos filhos, que vivem com muitas dificuldades. Além disso, ainda segundo a jovem, se o pai dos seus filhos permanecesse preso não podia seguir o desenvolvimento deles.
TRIBUNAL ALERTA
Após analisar a solicitação da vítima, identificada como R.M.R., a Justiça Penal de La Plata decidiu libertar O.D.R., de 36 anos. O juiz deliberou que o violador deve agora passar a pagar os gastos com a alimentação, educação e cuidados de saúde” dos dois filhos menores e ainda acordar um regime de visitas aos menores” sem “alterar a sua rotina” e o desenvolvimento normal das crianças. Refira-se que os dois menores, de dois e quatro anos, tinham o apelido do violador.
Recorde-se que o violador foi detido por ter sido acusado de abusar sexualmente da menor aproveitando a condição de convivência que mantinha com a mãe da criança com quem namorava.
Durante o julgamento, a defesa do violador alegou que este vivia numa casa situada ao fundo de um quintal e que a mãe, sua ex-namorada, e a filha desta viviam noutra casa pelo que não existia uma convivência permanente, mas esta teoria não colheu.
Refira-se que, de acordo com o Código Penal da Argentina, um caso com estas características contempla uma pena de 20 anos de prisão.
Ver comentários