Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Violência mancha cimeira do G20

Milhares de manifestantes desfilaram ontem pelas ruas de Toronto no primeiro dia da cimeira do G20, com vários grupos de anarquistas violentos a envolverem-se em confrontos com a polícia, que destacou 19 mil agentes de todo o país para seguir os movimentos dos manifestantes. Gás lacrimogéneo foi usado para travar o avanço dos radicais, que incendiaram pelo menos um carro da polícia e vandalizaram bancos e também estabelecimentos comerciais.
27 de Junho de 2010 às 00:30
Anarquistas e activistas antiglobalização tentaram furar os cordões policiais
Anarquistas e activistas antiglobalização tentaram furar os cordões policiais FOTO: Sergei Ilnitsky/EPA

Por detrás de uma vedação e muro de cimento com três metros de altura, cercando uma área de 3,5 km, os líderes das maiores economias do mundo e países emergentes iniciaram os primeiros contactos enquanto nas ruas a tensão crescia e se davam os primeiros confrontos.

Sindicatos e organizações pacíficas tentaram demarcar-se dos grupos violentos, que atacaram os polícias depois de incendiarem caixotes do lixo e partirem montras. Dois activistas foram presos uma hora após o início do desfile, às 13h00 locais (18h00 em Lisboa), tendo na sua posse bombas incendiárias. Antes da marcha foram encontradas pedras paus e armas improvisadas escondidos ao longo do trajecto. Antes da marcha de ontem tinham já sido feitas 32 detenções.

Sexta-feira, longe do cenário dos protestos, os líderes do G8 reuniram em Huntsville e na declaração final condenaram a Coreia do Norte pelo ataque de Março a um navio sul-coreano. Sem ocultar o desacordo nas medidas de combate à crise, os líderes de EUA, França, Alemanha, Reino Unido, Itália, Canadá e Rússia condenaram ainda o programa nuclear do Irão e consideraram que o bloqueio de Israel a Gaza "não pode continuar" como até aqui.

SAIBA MAIS

MORTE EM GÉNOVA

Na cimeira do G8 de 2001, em Génova, 500 pessoas ficaram feridas e Carlo Giuliani, de 23 anos, foi morto a tiro por um polícia.

1999

O encontro da OMC em Seattle faz milhares de feridos e força a declaração da lei marcial.

2008

Ano do primeiro encontro dos líderes dos países do G20.

CADA SEGUNDO DA CIMEIRA CUSTA 3220 EUROS

A organização da dupla cimeira do G8 e G20 em Huntsville e Toronto custou ao Canadá mais de mil milhões de euros, algo considerado inaceitável pelos críticos, sobretudo em tempo de crise. Cada segundo dos três dias do encontro dos chefes de Estado e de governo custa 3220 euros e, segundo cálculos de organizações humanitárias, os mil milhões poderiam, por exemplo, evitar a morte a 48 mil mães e 840 mil bebés em países pobres. Dava ainda para pagar cinco dos mais caros filmes de Hollywood, como ‘Avatar’ ou o ‘Homem de Ferro’.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)