Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Vitória de Berlusconi abre “nova era”

O início de uma nova era." É desta forma que a Imprensa italiana se refere à estrondosa vitória de Silvio Berlusconi nas eleições legislativas de domingo e segunda-feira, nas quais a coligação de centro-direita liderada por ‘Il Cavaliere’ conquistou a maioria absoluta em ambas as câmaras do Parlamento. As eleições ficaram ainda marcadas pelo desaparecimento do mapa político dos pequenos partidos que nas últimas décadas se especializaram em destruir coligações e derrubar governos.
16 de Abril de 2008 às 00:30
Vitória de Berlusconi abre “nova era”
Vitória de Berlusconi abre “nova era” FOTO: Tony Gentile/Reuters

O jornal ‘La Repubblica’ falava ontem num 'tsunami eleitoral que redesenhou todo o cenário político italiano' e o caso não é para menos. Pela primeira vez na história parlamentar do país os principais partidos da esquerda italiana – a Refundação Comunista, os Comunistas de Itália, a Esquerda Democrática e os Verdes – não conseguiram obter representação parlamentar. Com eles ficaram igualmente de fora outros pequenos partidos centristas e de direita, que desde sempre foram cruciais para a formação – e colapso – das sucessivas coligações que governaram Itália.

'Agora podemos finalmente governar como as principais democracias ocidentais, com um grande partido no poder e outro grande partido na oposição. Com os extremistas de fora, o Parlamento pode trabalhar mais rapidamente e avançar na modernização do país', afirmou Berlusconi na ressaca da vitória.

Com efeito, o novo Parlamento italiano terá apenas seis partidos, ao contrário do anterior, que tinha mais de vinte. Confirma-se assim a tendência para o bipartidarismo realçado por Berlusconi, com o seu partido, o Povo da Liberdade, a obter 37% dos votos e a segunda força mais votada, o Partido Democrata, de Walter Veltroni, a conquistar 32%.

Berlusconi já disse que as prioridades imediatas do seu governo passam pelo combate à imigração ilegal, salvamento da Alitalia e resolução da crise do lixo de Nápoles – cidade onde prometeu passar três dias por semana e realizar o primeiro conselho de ministros.

O seu futuro parceiro de governo, a Liga do Norte, que duplicou a votação, reforçando deste modo a sua influência no governo, já deixou entender que Berlusconi terá de fazer cedências para manter a maioria agora conquistada. 'As reformas têm de avançar, caso contrário perdemos a paciência', advertiu Umberto Bossi.

PERFIL

Silvio Berlusconi é, aos 71 anos, o homem mais rico de Itália, dono de um império empresarial que engloba Comunicação Social, publicidade, seguradoras, construção civil e até um clube de futebol (AC Milan). Esta é a terceiro vez que assume a chefia do governo - foi primeiro-ministro em 1994 (durante apenas sete meses) e no período 2001/2006. Apesar das várias acusações de corrupção de que foi alvo, nunca foi condenado. Gosta de se rodear de mulheres bonitas, tem fama de playboy e é frequentemente notícia pelo comportamento desbocado.

SAIBA MAIS

1993 foi o ano em que Berlusconi fundou o primeiro partido, a Forza Itália – nome inspirado num cântico dos adeptos do clube de futebol AC Milan.

7 meses foi quanto durou o primeiro governo liderado por Berlusconi, em 1994.

COLIGAÇÃO

A coligação de centro-direita com a qual Berlusconi venceu as eleições é formada pelo Povo da Liberdade, pe-la Liga do Norte e por um pequeno partido nacionalista da Sicília.

TERCEIRA REPÚBLICA

Segundo a imprensa italiana, a elei-ção de Berlusconi marca o início da terceira República, que ficará mar-cada pelo bipartidarismo.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)