Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Votação sem incidentes na Guiné-Bissau

A jornada eleitoral na Guiné-Bissau decorreu ontem sem incidentes de monta, com uma afluência às urnas elevada em todo o país. Segundo a Comissão Nacional de Eleições (CNE), registaram-se apenas alguns atrasos na abertura de assembleia de votos. Refira-se que os primeiros resultados poderão ser conhecidos amanhã ou na quarta-feira, com os os resultados oficiais e definitivos a serem publicados entre sete e dez dias após a votação.
20 de Junho de 2005 às 00:00
Os guineenses foram votar em massa e não houve problemas
Os guineenses foram votar em massa e não houve problemas FOTO: Manuel de Almeida
A nota mais significativa do dia eleitoral foi, de facto, a elevada a afluência às urnas. Ao longo do dia, verificaram-se mesmo filas enormes nas assembleias de voto, em especial na capital, Bissau. Mas, segundo a CNE, em muitos outros distritos, os eleitores aguardaram também durante horas, a sua vez de votar.
O único incidente de monta foi uma pequena escaramuça em Bissau com apoiantes do candidato Kumba Ialá a agredirem dois jornalistas locais. Um incidente que, no entanto, não manchou a pacífica jornada eleitoral. Tanto o chefe da Missão de Observadores da União Europeia , o belga Johan Van Hecke, como o enviado especial do secretário-geral da ONU, Joaquim Chissano, manifestaram-se satisfeitos com a forma como a votação decorreu.
Com a votação de ontem, que põe termo ao período de transição iniciado após a intentona de 2003, que depôs Kumba Ialá, cessa funções o presidente interino Henrique Rosa que afirmou esperar que o país não volte a precisar dele para a chefia de Estado, “sinal de um regresso à normalidade constitucional”.
Uma eventual segunda volta decorrerá, segundo a CNE, ou a 17 ou a 24 de Julho próximo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)