Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Bilhete Postal

Coube a uma personagem única do desporto nacional a conquista da primeira medalha olímpica para o nosso país.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 30 de Julho de 2021 às 00:33
Coube a uma personagem única do desporto nacional a conquista da primeira medalha olímpica para o nosso país. Mesmo sem o conhecer pessoalmente, gosto verdadeiramente de Jorge Fonseca, o judoca bicampeão mundial e agora medalhado em Tóquio. Ele entrou no nosso imaginário quando celebrou a primeira conquista com uma dança no tapete.

Depois, descobrimos a recuperação de um cancro, o percurso de vida, a fúria de viver e de vencer. Um típico desportista filho do Portugal do século XXI, sempre a espadeirar com profissionalismo e força de vontade contra as debilidades dos apoios e das condições dadas aos atletas por um país que exige medalhas sem dar condições.

Jorge Fonseca ambicionava o ouro. Para ele, o bronze foi uma derrota. Reagiu de imediato, a olhar para a próxima olimpíada. Um campeão.
Tóquio Postal Portugal Jorge Fonseca desporto judo
Ver comentários