Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Bilhete Postal

Há duas explicações possíveis para o que se passou ontem, e nenhuma delas descansa os portugueses.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 1 de Julho de 2022 às 00:32
Há duas explicações possíveis para o que se passou ontem, e nenhuma delas descansa os portugueses. Ou Pedro Nuno Santos pensou que era possível resolver uma querela que se arrasta há 50 anos com um mero despacho sem dizer nada a ninguém, ou tudo decorreu dentro da normalidade e alguém no Governo se esqueceu de avisar o Presidente Marcelo, originando o recuo e toda a trapalhada a que se assistiu durante o dia. No primeiro caso, a permanência do ministro é errada, porque mostrou uma falha ética grave ao passar por cima do primeiro-ministro. No segundo caso, ainda é pior, porque indicia que António Costa fica a dever um favor a Pedro Nuno Santos, que assumiu as responsabilidades pelo erro de comunicação. O ministro das Infraestruturas já mandava no aparelho socialista. Talvez agora mande também no Governo.
António Costa Pedro Nuno Santos Governo política polémica aeroporto despacho
Ver comentários
}