Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Acácio Pereira

O próximo ministro

Tem de compreender a sensibilidade das tarefas do SEF.

Acácio Pereira 31 de Agosto de 2015 às 00:30
É incrível o tempo e a energia política que se gastam para chegar a conclusões óbvias. Anabela Rodrigues, a ministra da Administração Interna que veio fazer de "post scriptum" a Miguel Macedo, é um bom exemplo: tanta coisa, tanta crispação para concluir esta coisa simples – as forças e serviços de segurança têm de dispor de um estatuto singular dentro da Função Pública para poderem, com eficácia, cumprir as missões de especial complexidade que lhes são confiadas.

Uma das forças já obteve esse estatuto compatível com as funções, outras terão de se seguir. O que os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras – SEF desejam é que isso seja feito de forma consciente, rigorosa... e com o bom senso que tem faltado aos governantes.

A segurança nacional e a crise migratória que assola a Europa exigem que o próximo ministro compreenda a sensibilidade das tarefas que vão caber ao SEF nos próximos anos. O que os seus inspetores lhe irão pedir é um quadro em que as possam desempenhar bem, com rigor e espírito humanista. Só isso.
opinião Acácio Pereira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)