Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Almeida Henriques

O antivírus

A educação continua a ser o único antivírus eficaz contra todos os tipos de violência.

Almeida Henriques 13 de Janeiro de 2015 às 00:30

Uma tocante onda de solidariedade ligou o mundo (quase todo) e muitos dos seus líderes, este fim de semana, em protesto contra os ataques terroristas de Paris. Tão impressionante como a espontânea empatia de milhões e milhões de cidadãos anónimos pelas vítimas do fanatismo e do ódio. Foi um grito altissonante em favor da liberdade que conquistámos e do respeito pelo valor sagrado da vida humana.

O que está em causa nos atentados de Paris vai muito para além de um rancor particular aos cartoonistas do ‘Charlie Hebdo’ ou de um ódio mais geral aos judeus.

O que está em causa nesses atentados é um ataque declarado e virulento a um modo de vida. A um modo de vida que põe a liberdade acima de qualquer dogma e fundamentalismo. A uma cultura de fraternidade em que qualquer homem e mulher são livres e iguais perante a Lei. A uma civilização fundada nos ideais humanistas do Iluminismo, em que se erigiu a democracia ocidental, isenta de religião, origem, raça, género e de ‘donos da verdade’.

O terror é o meio por que opera a estratégia do fundamentalismo islâmico. Este meio quer semear um vírus de medo no nosso modo de vida, suscitando a desconfiança, o preconceito e a divisão, em relação a geografias, culturas e religiões – e à própria essência da liberdade. Daí à securitização, à intolerância, à xenofobia e à perseguição vai um pequeno passo. Esse é precisamente o precipício onde a Europa e o Ocidente não podem cair, mas para onde o ‘Estado Islâmico’ os quer empurrar.

Em Portugal, ligámo-nos à ‘capital do mundo’. Em diversas cidades, como Lisboa, Porto ou Viseu, foram levantados pendões e vozes em homenagem aos mártires que a democracia continua a conhecer. Mas também em repúdio contra aquela estratégia de terror e a violência mais execrável e inominável.

Foi um belo exemplo não apenas de solidariedade, mas também de sensatez e

de inteligência.

A educação continua a ser o melhor antídoto contra os dogmas e o único antivírus eficaz contra todos os tipos de violência. Infelizmente, o nosso mundo hightech e sofisticado não extirpou a Inquisição de algumas cabeças, geografias e discursos.

É que os progressos tecnológicos não substituem o paciente trabalho das sementes da cultura e da educação

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)