Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Álvaro Rodrigues

A bem da verdade

Impõe-se registar a nossa frontal oposição ao vilipêndio público da verdade.

Álvaro Rodrigues 20 de Dezembro de 2014 às 00:30

Desde sempre, os Juízes são garantes das democracias, como em 1977 sublinhava José Matoso na sua oração de sapiência no V Congresso dos Juízes Portugueses e onde assim saudou os congressistas: "Conseguir que o sistema judicial continue a ser, na medida do possível, o garante da sociedade democrática é aquilo que certamente desejam todos os presentes."

Este paradigma tem sido uma constante em Portugal, não obstante as conhecidas dificuldades que o sistema da Justiça vai enfrentando com notória dignidade. Por isso, foi com invencível perplexidade e indignação que lemos, há dias, as palavras de um ex-dirigente da instituição representativa dos advogados, deste teor: "O oportunismo dos políticos permitiu que os magistrados possam, hoje, fazer tudo o que quiserem em nome da sua irresponsabilidade funcional. Assim aqueles que caem mas malhas da justiça não ficam sob a alçada da lei mas sim totalmente indefesos nas mãos dos juízes e procuradores."

Palavras infundadas e infundamentadas não merecem qualquer comentário, mas impõe-se registar a nossa frontal oposição ao vilipêndio público da verdade e da dignidade daqueles que servem a Justiça.

verdade José Matoso política V Congresso dos Juízes Portugueses Portugal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)