Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

António Magalhães

Controlar os custos e os riscos

As contas de Bruno de Carvalho para a próxima temporada.

António Magalhães 16 de Maio de 2015 às 00:30

Bruno de Carvalho confessou não poder trabalhar a próxima época de acordo com um orçamento já definido. Tudo porque desconhece o valor do novo patrocinador (há muito que se sabe que a PT vai sair de campo) e porque não sabe se o Sporting conseguirá o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, etapa que garante 12 milhões de euros.

A questão é decidir o que fazer: manter os pés no chão e contar apenas com aquilo que se tem ou apostar forte e jogar no risco. Nesta época, o FC Porto foi o exemplo de uma opção de risco controlado. O investimento feito garantia-lhe qualidade mas não certezas quanto à passagem à fase de grupos. Um dos momentos mais importantes do FC Porto nesta época foi a eliminatória com o Lille (resolvida com duas vitórias). A entrada na Champions permitiu potenciar ativos (e de que maneira) e acabou por ser (se o título acabar na Luz) o marco mais relevante do 1º ano de Lopetegui no Dragão. Não fosse o jejum de títulos que o Sporting já leva e provavelmente Bruno de Carvalho trocaria uma festa do Jamor pelos milhões seguros da Champions. Assim, há que esperar e tomar decisões.

Bruno de Carvalho Sporting Liga dos Campeões FC Porto desporto futebol
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)