Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Cenário menos cor de rosa

Sem poupanças no Estado, a crise será paga com mais impostos.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 19 de Abril de 2016 às 01:45
Há uma ameaça económica que pode colocar problemas políticos a António Costa se a pressão de Bruxelas e dos credores provocar a quebra da lua de mel entre o PS e os seus aliados de esquerda.

O Governo vai apresentar um programa de estabilidade, onde já não pode prometer o cenário cor de rosa desenhado por Centeno nas recentes eleições legislativas.

Os ventos da economia internacional não ajudam. A Europa estagna, e de Angola, que se tinha transformado nos anos mais recentes numa almofada cómoda para centenas de empresas e milhares de portugueses, surgem notícias preocupantes. Numa economia tão dependente do exterior, é impossível haver oásis, apesar de a política de aumento dos rendimentos dos funcionários públicos, dos reformados e dos trabalhadores com salário mínimo ter colocado mais dinheiro na economia.

Essa política pode ter ajudado a alguma reanimação da procura interna, mas não acelerou o PIB, nem criou empregos suficientes. Mais tarde ou mais cedo, o Governo fará uma nova reavaliação em baixa da evolução do PIB. E se não houver poupanças no Estado, já se sabe que a crise será paga com mais impostos.
António Costa Bruxelas PS Governo Centeno Europa Angola política economia negócios e finanças macroeconomia
Ver comentários