Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Comissões na banca

Banca compensa nas comissões a quebra de receitas nos juros.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 2 de Setembro de 2017 às 00:32
Este mês começa com vários bancos a carregar as contas dos clientes com comissões. O caso mais mediático é o da Caixa Geral de Depósitos, mas praticamente todos estão a seguir a mesma cartilha e o banco público está longe de ser o mais caro.

Antes, as instituições bancárias eram um local onde se depositava o dinheiro, que dava rendimento e nem se notavam os custos, mas agora não há rendimento visível dos juros, a zero nas contas à ordem, quase a zero na maior parte dos depósitos a prazo, e ainda há custos acrescidos. O negócio da banca mudou substancialmente. Os juros esmagados também significam uma quebra nas margens de intermediação. A concorrência entre as instituições tem contribuído para a baixa dos lucros nos empréstimos.

Com as contas sob pressão, agravadas pela pesada herança dos créditos tóxicos, são os clientes a pagar diretamente a conta. Neste contexto, é fundamental evitar abusos. E exige-se que o regulador, o Banco de Portugal, esteja atento para defender os consumidores.
Banco de Portugal Caixa Geral de Depósitos economia negócios e finanças serviços financeiros banca política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)