Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Lava mais branco

O primeiro português apanhado na rede dos papéis do Panamá é um ilustre desconhecido.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 5 de Abril de 2016 às 01:45
O primeiro português apanhado na rede dos papéis do Panamá é um ilustre desconhecido, certamente milionário e com ligações no Brasil ao processo de corrupção Lava Jato.

Mas desenganem-se os mais ingénuos: a elite financeira indígena gosta e usa tanto os offshores como Putin, Messi ou a tia do rei de Espanha.

Só no ano passado, o montante aplicado de Portugal nestes destinos paradisíacos para o dinheiro, longe dos 28% da taxa liberatória dos depósitos, foi de 2,3 milhões de euros por dia.

São os números oficiais, abaixo da realidade, porque quando é para esconder dinheiro, até os milionários com melhor berço, não enjeitam a oportunidade de esconder notas no forro do sobretudo.
Papéis do Panamá Brasil Lava Jato Putin Messi Portugal paraísos fiscais
Ver comentários