Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Maus banqueiros

Não há banco bom nos despojos do BES.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 28 de Fevereiro de 2016 às 00:31
A administração do Novo Banco culpa a herança dos créditos concedidos pelo BES   por 78% dos prejuízos de 980,6 milhões de euros registados em 2015. Ricardo Salgado reagiu e culpa o governador do Banco de Portugal pelo desastre. Na tragédia do BES não há banqueiros nem grandes devedores inocentes.

Vítimas sem culpa na história são os contribuintes, a maioria dos subscritores de papel comercial que acreditavam no nome Espírito Santo e os bancários que perdem o emprego com o desmoronamento deste grupo, que chegou a ser o mais poderoso do País. No processo de resolução no verão de 2014 os portugueses foram vítimas de uma gigantesca mentira, quando anunciaram que os despojos do BES seriam divididos em ‘banco bom’ e ‘banco mau’.

Vê-se agora com a herança de créditos ruinosos no Novo Banco que afinal a separação foi na verdade entre um ‘banco mau’ e outro ‘banco ainda pior’. Resta saber como acabará o processo do Novo Banco. Será impossível recuperar a totalidade dos 4,9 mil milhões investidos. 

Melhor sorte
O PCP propôs nacionalizar o Novo Banco. Não é uma boa solução. Mas uma privatização semelhante à venda do Banif seria ainda pior. O banco limpo dos ativos tóxicos merece melhor sorte. 
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)