Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

O adeus a Pangloss

Até suceder a tragédia de Pedrógão Grande, o Governo vivia no universo de Pangloss.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 10 de Julho de 2017 às 00:31
Até suceder a tragédia de Pedrógão Grande, o Governo vivia no universo de Pangloss, o mestre de Cândido que no livro de Voltaire dizia que estava tudo no melhor dos mundos possíveis.

Com a recuperação da economia, o petróleo barato e os juros baixos que aliviam a prestação mensal de centenas de milhares de famílias, António Costa juntava à habilidade política uma aura de sorte.

O inferno de Pedrógão e o assalto a Tancos revelaram fragilidades do Estado e do Governo. Se a aferição da qualidade do Executivo fosse feita pela competência de Constança Urbano de Sousa e de Azeredo Lopes, nem o doutor Pangloss teria razões para manter o seu incorrigível otimismo.
Armando Esteves Pereira opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)