Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

O cêntimo de Centeno

Quanto mais caro for o petróleo mais dinheiro o fisco ganha com o IVA.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 15 de Maio de 2016 às 00:30
A descida de um cêntimo no ISP (imposto sobre os combustíveis) é uma das medidas mais ridículas de um Governo em Portugal. É quase um gozo sádico. Depois de um brutal aumento do imposto em seis cêntimos pela calada, que entrou em vigor antes da aprovação do Orçamento do Estado, os preços do petróleo voltaram a aumentar e os automobilistas e empresas de transportes começaram a ver os custos a disparar. Curiosamente, a justificação para a subida brutal do imposto tinha sido o decréscimo de receitas com a baixa do crude.

O ouro negro voltou a subir e com essa subida o Fisco ganhou mais, porque além do ISP há o IVA e quanto mais caro for o produto, maior é a receita do imposto. António Costa na entrevista à SIC preferiu deixar a boa notícia da descida do ISP para o ministro Mário Centeno. No dia seguinte, a expectativa esfumava-se numa triste desilusão. A descida de 50 cêntimos por depósito vai ser absorvida a partir de amanhã com novas atualizações do preço e o Estado continua a receber mais por via do IVA.

Maus ventos
Más notícias na semana foram a quebra das exportações e a estagnação do PIB. A crise angolana está a afetar a faturação de muitas empresas nacionais e a vida de milhares de portugueses.
Governo Orçamento do Estado combustíveis imposto António Costa Mário Centeno economia negócios e finanças
Ver comentários