Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Boss AC

Eu voto

Não abdico do meu direito de votar e exercer o meu direito enquanto cidadão.

Boss AC 4 de Outubro de 2015 às 00:30
Hoje é dia de eleições para a Assembleia da República. Quem será o novo primeiro-ministro e formará governo? Veremos...

É difícil acreditar em campanhas e programas eleitorais, sabendo que depois de eleitos os partidos tendem a tomar medidas, muitas vezes, completamente opostas das que defendiam antes da eleição.

A julgar pelas eleições anteriores e pelas intenções de voto, é normal que, mais uma vez, os números das abstenções sejam elevados. Quem ganha com isso? A luta nas urnas, entre os partidos grandes e os partidos pequenos que não têm as máquinas partidárias poderosas nem os mesmos meios disponíveis, é desequilibrada. E o poder parece um jogo de ping-pong. Agora eu, depois tu.

Há um grande descrédito pela classe política e muitos veem na abstenção uma forma de protesto. Acontece que os argumentos de serem todos uns "ladrões" e uns "corruptos" de nada servem se depois esse descontentamento não for traduzido na hora de votar.

Se a decisão for não votar, que seja uma decisão consciente. Consciente dos prós e dos contras dessa decisão porque a abstenção é deixar que sejam os outros a decidir por nós.

Se em 10 pessoas apenas votarem 3, são essas 3 pessoas que decidem e as outras 7 terão de aceitar essa decisão. Será correcto esse sistema? Não sei. Mas ilustra bem o poder que a abstenção tem: perpetua o "mais do mesmo" e beneficia os partidos com mais militantes e que, à partida, têm esses votos garantidos. Querem sangue novo? Elejam-no!

Ontem ouvi uma senhora dizer, a propósito de um dos candidatos: "Não sei porquê, mas não vou com a cara dele. Não me inspira confiança."

Pergunto: quais são os critérios que levam as pessoas a votar em A ou em B? Será que as pessoas conhecem os respectivos programas eleitorais e as intenções dos candidatos? Ou as eleições são um concurso de misses em que se vota no mais bonito e simpático?

Toda a gente sabe o que é melhor para o país mas depois, no dia de votar, todas as desculpas servem para não se ir votar: ou é porque "está calor e vamos para a praia, ou porque "está a chover e não me quero constipar", ou porque "não vai mudar nada", ou porque...

Somos nós que nos abstemos e somos nós que os elegemos e, quando as coisas correm mal, não podemos dizer que a culpa é só "deles". A culpa também é nossa. E é por essa razão que eu não abdico de votar e exercer o meu dever e direito enquanto cidadão. Eu não quero que ninguém decida por mim. Eu voto.
Boss AC Assembleia da República eleições legislativas Governo
Ver comentários