Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Bruno Figueiredo

Missão impossível

Capacidade de resposta da ASAE começa a falhar.

Bruno Figueiredo 13 de Novembro de 2017 às 00:30
Consta do Relatório Anual de Segurança Privada que, durante o ano de 2016, a ASAE terá reduzido em um terço o número de inspeções a estabelecimentos de diversão noturna.

O mesmo relatório diz-nos que, nas 25 inspeções realizadas pela ASAE, em 5 delas foram detetadas armas ilegais.

A análise destes números revela-nos duas realidades: a primeira, que a ASAE está a ficar sem capacidade de intervenção, reflexo do seu reduzido quadro de pessoal e do alargado leque de competências que lhe estão acometidas; a segunda, que o setor da diversão noturna é problemático e que a fiscalização tem que ser uma prioridade.

A reforçar esta realidade dos números, verifica-se, ao nível dos Núcleos de Instrução Processual da ASAE, que continuam a chegar inúmeros processos de contraordenação, instaurados por diferentes forças policiais, em que são visados esses estabelecimentos noturnos. Também aí, a capacidade de resposta da ASAE começa a falhar.

Não tenhamos dúvidas que os doze processos instaurados pela PSP contra o Urban Beach continuam no armário, com outros milhares de processos em cima. Pelo menos, assim estiveram até à passada sexta-feira.

Sem ovos, não há omeletas...
Bruno Figueiredo opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)