Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Brincar com o fogo

Quem é o pai que leva o filho ao estádio num momemto destes? Será este o futebol que querem?

Carlos Anjos 10 de Outubro de 2014 às 03:11

Temos assistido nos últimos tempos a uma troca de palavras entre os dirigentes desportivos dos principais clubes portugueses que não augura nada de bom. A forma agressiva como se dirigem uns aos outros, principalmente nas vésperas de jogos entre os chamados clubes grandes, é perigosa e poderá incendiar o ambiente.


O próximo jogo entre o Porto e o Sporting era já um jogo de elevado risco. Tudo o que tem acontecido, com a troca de galhardetes entre os dirigentes destes dois clubes, torna aquele jogo num autêntico barril de pólvora. Se as coisas correrem mal, de quem é a culpa? Se tudo descambar em agressões entre os adeptos, quem serão os responsáveis? Serão os adeptos ou aqueles que dirigem os clubes e que deveriam ser nesta fase os pacificadores em vez dos incendiários. Não é compreensível como é que alguém quer mudar a cara do futebol, tornar aquele negócio rentável, encher os estádios e, na prática, assistimos a comportamentos que vão em sentido contrário. Quem é o pai que leva o filho ao estádio num momento destes? Será este o futebol que querem?

futebol adeptos dirigentes
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)