Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Crime global

Os criminosos estão em constante movimento.

Carlos Anjos 11 de Setembro de 2015 às 00:30
Nesta Europa sem fronteiras, os criminosos estão em constante movimento, dificultando o trabalho das polícias. Estas têm de estar mais alerta, dispor de melhores recursos e trabalhar melhor a informação e articulação com as congéneres europeias. Ocorreram recentemente dois casos em Portugal que mostram esta realidade.

Em Leiria, um cidadão brasileiro matou um homem a tiro, abandonando o local do crime numa viatura, encetando uma fuga. A PJ previu que ele tentasse a fuga para o Brasil. Perante a impossibilidade de apanhar um avião em Portugal, o normal seria ir para Madrid e dali embarcar para o Brasil. Acertou em cheio. A rapidez nas decisões e a boa cooperação policial possibilitou a detenção do presumível homicida em Madrid. Numa outra investigação, a PJ deteve dois italianos, suspeitos de terem assaltado 12 bancos na zona Norte, e de serem responsáveis por  crimes idênticos em Espanha. Eram donos de um respeitável currículo criminoso em Itália, de onde haviam desaparecido. Desinvestir na investigação e na PJ significa perder a guerra contra o crime.
Europa Portugal criminalidade Polícia Judiciária polícia investigação policial
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)