Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

O segredo de Justiça

Houve uma situação que me surpreendeu: as críticas de Cândida Almeida, ex-líder do DCIAP.

Carlos Anjos 28 de Novembro de 2014 às 00:30

O segredo de justiça volta a ser notícia devido à detenção de José Sócrates. Discute-se mais essa violação do que os crimes pelos quais estão os suspeitos indiciados. O segredo de justiça é algo de muito importante, quer na defesa do princípio da inocência e do bom do nome dos arguidos, bem como na defesa da investigação. Mas o segredo de justiça não era necessário, se não existissem investigações nem arguidos.

O mais importante é saber se aquelas pessoas cometeram ou não os crimes pelos quais estão indiciadas. É isto que neste momento os portugueses querem saber: se José Sócrates utilizou a confiança nele depositada para enriquecer ilegitimamente.

Mas houve uma situação que, confesso, me surpreendeu: as duras críticas de Cândida Almeida, ex- líder do DCIAP, à violação do segredo de justiça, ou seja, à atuação do DCIAP, logo, ao seu atual líder, Amadeu Guerra. Será que no tempo de Cândida Almeida não houve violações do segredo de justiça? Responsabilizou alguém por isso? É que, neste caso, o suspeito do costume, a PJ, desta vez não sabia desta operação. 

José Sócrates Cândida Almeida DCIAP Amadeu Guerra PJ economia negócios e finanças media
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)