Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Bilhete Postal

Trata-se de um banqueiro condenado que desafiou a Justiça e fugiu do País.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 14 de Maio de 2022 às 00:33
João Rendeiro não era um preso qualquer.
Trata-se de um banqueiro condenado que desafiou a Justiça e fugiu do País.
Agora que há a notícia da sua morte na prisão, em Durban, é bom que o Estado português não reincida na falta de cuidado e de diligência no tratamento deste caso.
É necessário que representantes certificados do Estado português confirmem a morte do banqueiro e as circunstância em que ela ocorreu.
Deve também ser esclarecida muito bem a rocambolesca história da advogada que abandonou Rendeiro nas vésperas da sua morte.
Deve, finalmente, ser escrutinado o verdadeiro sentido da surpreendente alegação de que o banqueiro foragido já não tinha dinheiro.
Se a Justiça falhou durante a vida de João Rendeiro, é bom que não falhe também na sua morte.
O caso Rendeiro ainda não terminou.
João Rendeiro Postal Estado Justiça questões sociais morte