Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Elogio de Seguro

A caminho da derrota, Seguro procurou elevar-se acima do aparelho.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 30 de Setembro de 2014 às 00:30

Fê-lo demasiado tarde, com a mesma falta de ousadia que o levou a rejeitar o acordo proposto há um ano por Cavaco. Hoje seria, talvez, primeiro-ministro. O friso socrático que ocupou as galerias de Costa pateou Seguro com mais violência do que seria normal.

O tom usado pelos adversários salientou a dignidade de Estado na hora da saída. Os portugueses gostam de premiar travessias do deserto. Seguro terá agora de fazer a sua. Tem à sua mercê o papel único de consciência crítica acima dos aparelhos e das clientelas. Duas vitórias eleitorais não lhe serviram para nada. Veremos o que fará com esta derrota. 

Costa política eleições
Ver comentários