Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

César Nogueira

GNR na Europa

GNR precisa de transformações mais profundas.

César Nogueira 18 de Julho de 2015 às 00:30
Recentemente, no âmbito de um projeto de parceria com o sindicato de polícia holandês, VMHP, enquadrado na Confederação Europeia de Polícia (EuroCOP), a APG/GNR teve oportunidade de discutir alguns conceitos e ideias com os representantes desta estrutura.

A GNR tem uma orgânica e um normativo de raiz militarista, muito longe da base civilista de serviço público que têm as outras polícias europeias, sem acesso a direitos, que mesmo as suas congéneres de origem gendarme têm, como o do horário de trabalho ou o direito de participação das estruturas associativas.

Esta discussão surge como oportuna numa fase em que a Associação está a discutir o Estatuto com a Tutela. Aparentemente, terá sido aceite a fixação do horário de trabalho de 40 horas semanais, pese embora sempre tenhamos defendido um horário policial de 36 horas. Trata-se de um passo importante no processo de modernização da Guarda, contudo, há um longo caminho a percorrer. Aproximar a GNR das suas funções de segurança pública terá que passar por transformações mais profundas.
Confederação Europeia de Polícia GNR estatuto trabalho
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)