Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Cintra Torres

Tempos modernos

A mão visível da celebrização exige vida privada em público.

Eduardo Cintra Torres 12 de Junho de 2016 às 00:30
As "Escolhas da Marta", secção nestas páginas que leio sempre com atenção, têm ralhado com amável benevolência aos jogadores que não partilham imagens da sua vida privada nas redes sociais. E elogiado os que o fazem. Ainda anteontem: "José Fonte: muito activo nas redes sociais, destaca os momentos em equipa e as situações privadas com a família."

Assim, um jogador não é um "homem completo" se, além de jogar bem e ter um corpinho bem feito, não postar no Facebook imagens da mulher, filhos, amigos ou família. Só se considera como celebridade um profissional de mão cheia se ele divulgar a intimidade. O jogo, a técnica, o virtuosismo? Já não chegam. A mão visível da celebrização exige vida privada em público. Sem ela, é "apenas" um bom jogador.
José Fonte Facebook jogadores
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)