Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Cintra Torres

À espera da chuva de Setembro

Os canais generalistas esperam a milagrosa chuva de audiências em setembro, mas o bom tempo televisivo parece estar no campo das alternativas.

Eduardo Cintra Torres 2 de Setembro de 2016 às 00:30

No domingo, a TV generalista teve a mais baixa audiência de que me lembro em dias comuns, sem bola ou outro grande evento: 45,4%; e o cabo atingiu 41%. Nem as estreias de Setembro, nem a chegada de mais dois canais da RTP à TDT evitarão esta corrosão.


Qual a ficção que atrai a audiência com mais poder de compra? Séries. Americanas, inglesas, às vezes de outros países. Os generalistas, quando as passam, atiram-nas para horários de menor audiência. Como na maionese, audiência e generalistas deslassam.


Uma nova novela da TVI, ‘A Impostora’, tem como personagens de partida duas gémeas. Todos os anos há um enredo com gémeos em novelas. Leva ao paroxismo as histórias de laços de sangue e, suponho eu, tem-se duas personagens pelo preço de um actor.


Já ‘Amor Maior’, da SIC, actualiza pela enésima vez os contos da princesa que guardava patos e da gata borralheira: o pai expulsa de casa a filha, falsamente acusada, a madrasta é um horror, e o príncipe encantado tem de descobrir que ela é a boazinha.


Regresso do cristianismo como realidade comum, depois de décadas de generalizado agnosticismo, pela porta grande da TV: nos EUA e em França, séries; no Brasil, novela de êxito; em Portugal, o centenário de Fátima originará pelo menos duas séries.


Até agora, o Conselho Geral Independente (CGI) da RTP só cumpriu uma missão: ajudou, com muita "independência", o ministro Poiares Maduro (PSD) a despachar a anterior administração. O CGI não está lá para empatar, mas se nada faz ou diz, serve para quê?

Tendências: Fim
Donald Trump, que, para ir longe, fez de personagem de reality show, chegou a candidato à presidência dos EUA. Mas a campanha eleitoral americana é longuíssima, cerca de um ano. A TV também vai permitindo ver contradições, personalidade, mentiras, superficialidade. Trump parece estar a entregar uma vitória retumbante a Hillary Clinton. Pela TV se ganha, pela TV se perde. 

Afundanço
No final de Agosto, a audiência dos canais generalistas afundou. Sem Olímpicos, a RTP 1 passou dum share de 15,8% de 4 a 6 de Agosto para 9,6% de 26 a 28: quase metade. A SIC já não sabe o que é um share mensal de 20% desde Maio de 2014. E a TVI desceu pela primeira vez abaixo dos 20% em Julho e Agosto. Sábado, a RTP 2 caiu a pique para 1,5%, depois de dias acima de 6% durante os Jogos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)